Síndrome do útero irritável: entenda tudo!

Útero Irritável - Instituto Villamil

A síndrome do útero irritável é uma condição que afeta gestantes e pode levar a um parto prematuro. Por isso, se você está passando por essa situação ou quer entender mais sobre o assunto, a gente te explica!

O que é síndrome do útero irritável?

Grávidas diagnosticadas com síndrome do útero irritável começam a sentir contrações muito antes do trabalho de parto. Sendo assim, essas mulheres podem sentir mais contrações durante a gravidez inteira, e não apenas no período próximo do nascimento do bebê, como ocorre na maioria das gestantes.

Essas contrações podem começar a partir do quarto mês de gestação e acompanhar a grávida até o parto.  Em grande parte das vezes, as contrações têm como característica serem mais fortes e doloridas, mas não causam dilatação. No entanto, a síndrome do útero irritável pode fazer com que o parto ocorra antes do previsto, já que estudos mostram que pelo menos 18% das mulheres com a síndrome do útero irritável tiveram parto prematuro.

Dessa forma, o risco de prematuridade e o desconforto faz com que a gestante precise de cuidados especiais.

Contração uterina

Não confunda com contrações de treinamento!

As contrações de treinamento, também chamadas de contrações de Braxton Hicks, ocorrem a partir de 20 semanas de gestação e são fisiológicas. Isso significa que seu corpo está se preparando para o momento do parto. Esse tipo de contração tem como característica o endurecimento do útero, que começa na parte superior e progressivamente se estende para baixo.

Diferente da síndrome do útero irritável, as contrações de treinamento vão tendo intensidade e

frequência aumentadas conforme a evolução da gestação. Duram em média 30 segundos e, ainda que possam ser incômodas, não causam dor.

O que causa a síndrome do útero irritável?

A síndrome do útero irritável pode ter várias causas. Isso significa que a condição não tem um motivo único e específico. Sendo assim, alguns dos fatores são:

Estresse e ansiedade durante a gestação são fatores prejudiciais
  • Desidratação
  • Infecções de urina
  • Infecções vaginais ou uterinas
  • Estresse ou ansiedade
  • Gravidez múltipla

 

Quando devo alertar o médico?

Se você estiver grávida com menos de 36 semanas, é importante alertar o médico se sentir contrações fortes e frequentes (cerca de 3 a 4 contrações por hora).

Além disso, relate ao médico se as contrações vierem juntas de dores nas costas, na pelve ou qualquer tipo de secreção ou sangramento vaginal.

Como tratar?

Primeiramente, se você desconfia que tem síndrome do útero irritável deve dizer ao seu médico obstetra. Isso porque só o médico pode diagnosticar corretamente e orientar acerca dos cuidados necessários para evitar complicações. Nesse sentido, o obstetra poderá recomendar o uso de medicações para dor e suplementos de magnésio, por exemplo.

De modo geral, recomenda-se aumentar o consumo de água, fazer xixi regularmente e dormir bem. Além disso, é interessante evitar bebidas e alimentos com cafeína, situações de estresse e aumento de peso.

Dependendo de cada caso, o médico pode pedir para evitar atividades muito intensas que exijam muito esforço, além de cuidar da ansiedade e do nível de estresse.

Aumento da ingestão de água durante a gestação

E na hora do parto?

Gestantes diagnosticadas com síndrome do útero irritável tem maiores chances de parto antes da hora. Sendo assim, o acompanhamento dessa gravidez deve ser feito com ainda mais atenção para diminuir esse risco.

Cabe à gestante informar ao seu médico qualquer situação diferente do habitual, como aumento da frequência e da intensidade das contrações.

Ainda que exista a chance de prematuridade, quando bem tratada e orientada, a síndrome do útero irritável não oferece grandes riscos à gestação. Por isso, essas gestantes devem se manter sempre bem hidratadas e descansadas para aliviar as cólicas.

Seguindo os cuidados, tudo indica que a gravidez corra bem e sem complicações.

 

Leia mais!

Perda gestacional precoce: quais as causas?

Trabalho de parto prematuro: o que fazer?

Sangramento na gravidez: o que pode ser?

Assista!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on google
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

WhatsApp chat