Secreções vaginais: O que dizem?

secreções vaginais

A secreções vaginais são normais. O mais importante é conhecer as suas características para identificar quando estiver anormal ou apresentar algum sinal de alarme.

As secreções vaginais também são conhecidas como corrimento vaginal.

Uma dúvida frequente entre as mulheres é: o que significa o corrimento vaginal? Sempre que percebem algum tipo de secreção vaginal, muitas se preocupam a ponto de afetar o seu dia e até a sua relação com o seu parceiro. Mas nem sempre as secreções querem dizer doença ou que está faltando higiene. 

A vagina é um órgão “inteligente” que produz quase que diariamente uma secreção com muco, micro-organismos da sua própria flora e até algumas células mortas.

Qual a cor do corrimento normal?

secreções vaginais

 

A cor do corrimento normal pode variar entre transparente tipo clara de ovo, esbranquiçada ou leitosa. Tem um cheiro suave ou nenhum odor. Pode ser aquosa, elástica, ou um pouco mais espessa. Essas características, e também sua quantidade, podem variar com o dia do ciclo. Mesmo assim, todas elas consideradas secreções vaginais normais.

O corrimento mudou, posso estar grávida?

Esta é uma outra dúvida que os ginecologistas recebem com frequência porque existem grávidas que notam uma mudança de quantidade e de cor do corrimento logo no início da gestação. Algumas vezes de cor branca em virtude das alterações hormonais, ou mesmo rosa quando há um pequeno sangramento após a implantação. Clique aqui e saiba o que é o sangramento de implantação.

Conhecer o corrimento normal tranquiliza as mulheres.

Fazer duchas vaginais é uma prática comum entre as mulheres, pois muitas acreditam que a secreção significa falta de higiene. Mas essa prática não é necessária. Outro hábito comum é o uso diário de protetores íntimos, o que também não é preciso e pode fazer mal, já que pode prejudicar a ventilação e predispor algumas infecções.

Então quando devo me preocupar?

As secreções vaginais podem indicar doenças caso apresentem cor diferente das citadas, como verde, amarelada ou cinza, bem como vierem com sangue fora do período menstrual. Também é preciso estar atenta ao odor forte ou mau cheiro, presença de pus, consistência densa ou grumos do tipo leite coalhado.

Além disso, sempre que a secreção vier com de coceira, ardência ou dor, é válida uma avaliação médica. Veja também 10 dicas para evitar dor durante a relação sexual.  

Algumas doenças comuns que alteram a secreção vaginal são:

  • Candidíase, que é uma infecção por fungo e provoca uma secreção branca semelhante a leite coalhado, com ardência, mas com pouco ou nenhum odor. Clique aqui e saiba tudo sobre este problema. 
  • Vaginose bacteriana, que ocorre por uma proliferação desequilibrada de bactérias como a Gardnerella. A secreção torna-se normalmente cinza ou verde claro e com odor característico, semelhante ao cheiro de peixe.
  • Tricomoníase, que é uma IST (infecção sexualmente transmissível) e apresenta secreção amarela esverdeada, às vezes com pus e também de odor desagradável.

Veja fotos de tipos de secreções vaginais clicando neste link.

Secreções vaginais

A melhor forma de evitar as doenças é cuidando de si mesma.

Como evitar as secreções anormais?

Mais uma vez, é importante lembrar que a higiene interna da genitália com duchas e métodos semelhantes não é necessária. A melhor forma de manter a higiene é a limpeza da área externa, ou seja, da vulva e áreas vizinhas. Água e sabão são o suficiente para uma boa higiene. Além disso, o uso de preservativos é sempre indicado nas relações sexuais. Assim, você protege a si mesma e ao seu parceiro.

Leia mais:

Vídeos recomendados:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on google
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

WhatsApp chat