Quando é possível engravidar após o parto?

GRAVIDEZNOVAMENTE

Como saber quando é possível engravidar após o parto? O planejamento familiar, conjunto de ações que auxiliam casais a planejar a chegada dos filhos, é bastante importante no desenvolvimento de uma família. Muitas mulheres, após o nascimento de uma criança, desejam se planejar para gestar um novo filho.

Muitas mulheres apresentam diversas dúvidas no que diz respeito à quando ocorrerá a primeira menstruação após parto, se o ciclo se manterá regular enquanto amamenta e se será possível engravidar durante esse período.

 

Quando ocorre primeiro sangramento menstrual pós parto e quais as chances de engravidar nesse período?

Sabe-se que é possível engravidar antes mesmo da ocorrência da primeira menstruação pós parto, que normalmente se da entre 4 e 24 semanas após o nascimento, dependendo se a mulher está ou não em aleitamento exclusivo.

Mães que não estão amamentando costumam apresentar sangramento menstrual cerca de 12 semanas após dar à luz. Enquanto aquelas em aleitamento, em sua maioria, não apresentaram ciclos menstruais entre os primeiros 3 a 6 meses, sendo o primeiro sangramento com uma média de 9 meses pós parto.

Algumas mulheres apresentam uma primeira menstruação pós parto estéril, ou seja, sem que haja ovulação durante os ciclos iniciais. Em contraposição, algumas mulheres podem ovular antes de apresentarem sangramento menstrual; tornando possível conceber antes mesmo da ocorrência da primeira menstruação pós parto.

Usualmente, os casais podem retomar sua vida sexual normalmente cerca de 4 a 6 semanas após o nascimento. Caso o casal não esteja fazendo uso de nenhum método contraceptivo, é difícil determinar as chances de uma nova gestação, isso porque cada mulher tem um corpo diferente e o momento da primeira ovulação pós parto é imprevisível.

Algumas mulheres apresentam uma primeira menstruação pós parto estéril, ou seja, sem que haja ovulação durante os ciclos iniciais. Em contraposição, algumas mulheres podem ovular antes de apresentarem sangramento menstrual; tornando possível conceber antes mesmo da ocorrência da primeira menstruação pós parto.

Amamentação e o ciclo menstrual

É possível apresentar um ciclo menstrual regular enquanto amamentando,

embora a probabilidade e o cronograma desse evento dependam de vários fatores. Os hormônios responsáveis pela lactação podem atuar bloqueando a produção dos hormônios responsáveis pela ovulação, e, com isso, fazendo com que algumas mães não apresentem ciclo menstrual enquanto amamentam.

É sabido também que, frequentemente, a amamentação exclusiva – criança recebe apenas o leite materno como fonte nutritiva – atrasa a ovulação. A suplementação com formula, a introdução de alimentos sólidos, noites inteiras sem mamadas e até a ordenha do leite materno como forma de substituir a amamentação podem interromper a produção materna do leite, aumentando também as chances do corpo retomar a ovulação. Mas então, é possível engravidar enquanto está amamentando?

Sim, é possível. Apesar que a amamentação pode suprimir a ovulação, essa não é uma forma muito confiável de anticoncepcional.  Caso o casal não tenha o desejo de ter outro filho, é essencial que outros métodos anticoncepcionais sejam considerados.

A amamentação pode suprimir a ovulação, essa não é uma forma muito confiável de anticoncepcional.  Caso o casal não tenha o desejo de ter outro filho, é essencial que outros métodos anticoncepcionais sejam considerados.

Quanto tempo devo esperar antes de engravidar novamente?

Autoridades médico-cientificas como o Centro de controle e prevenção de doenças (CDC) recomendam que casais esperem entre um ano a 18 meses após terem um bebê para engravidarem novamente. O Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia (ACOG) recomenda uma espera de pelo menos 6 meses e frisa possíveis riscos de uma gestação antes de 18 meses após o último parto.

Isso ocorre devido ao fato de que, conceber antes de 18 meses após o nascimento da ultima criança aumenta as chances de complicações na gravidez subsequente, incluindo maior risco de parto prematuro e de criança com baixo peso ao nascer – especialmente quando a concepção ocorre tão precoce quanto 6 meses pós parto. Além disso, os riscos são aumentados para crianças portadoras de asma, atrasos no desenvolvimento, alterações de visão e audição posteriormente na vida.

Especialistas não sabem especificamente o motivo, mas intervalos pequenos entre gestações estão linkados a essas complicações. Isso pode ser em decorrência de inflamação residual no interior do útero, provenientes da última gestação, ou até em decorrência de deficiências nutricionais, entendendo que o organismo ainda não teve tempo suficiente para repor as vitaminas e nutrientes requeridos para que a próxima gestação seja saudável.

Ainda assim, muitos bebês concebidos logo após as mães estarem gravidas pela última vez, nascem com saúde perfeita.  Em contraposição, estudos sugerem que, quando mais tempo se passa após uma gestação (mais de 60 anos ou 5 anos), pode também haver um link com maiores riscos de complicações.

Como conclusão, é essencial que os casais estejam sempre em contato com seu médico sobre o melhor momento para a engravidarem novamente. Dessa forma, uma gravidez indesejada pode ser evitada e as chances da mãe e do próximo bebê ficarem saudáveis são maiores.

É essencial que os casais estejam sempre em contato com seu médico sobre o melhor momento para a engravidarem novamente.

Leia mais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on google
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

WhatsApp chat