Parto na Água: Por que escolher?

Parto na Água
  O parto na água já acontece com muita frequência em países como Estados Unidos e Inglaterra, há décadas. No Brasil, tem se tornado cada vez mais procurado pelas mulheres. Em Belo Horizonte, várias maternidades e hospitais têm disponibilizado banheiras para as suítes de parto.  

Mas por que ter um parto na água? Quais as vantagens? Quais as desvantagens?

No parto a água pode ser usada em dois momentos: Para alívio da dor durante o trabalho de parto e no momento do nascimento do bebê. A água é muito útil tanto em banhos de aspersão (chuveiro) quanto imersão em banheiras.   A principal vantagem da imersão em banheiras com água morna durante o trabalho de parto e parto é obter um alívio efetivo para a dor durante o trabalho de parto, resultando em menor necessidade de analgesia raquidiana ou peridural para alívio da dor (Cluett and Burns 2009). Além disto, ao entrar numa banheira com água morna durante o trabalho de parto, a mulher sente profundo relaxamento e controle sobre seu próprio corpo (Richmond 2003; Hall and Holloway 1998)  

Dúvidas comuns sobre o parto na água

  • O uso da água durante o trabalho de parto altera o risco de a mulher ter parto cesariana ou fórceps?
R- Não (Cluett and Burns 2009)  
  • O uso da água durante o trabalho de parto altera o índice de Apgar no quinto minuto?
R- Não  (Cluett and Burns 2009)  
  • O uso da água durante o trabalho de parto aumenta a chance de o bebê ter alguma infecção ou de ser internado em unidade neonatal?
R- Não.  
  • O trabalho de parto é mais longo ou mais curto quando a mulher fica dentro da banheira?
R- Parece que o primeiro estágio do trabalho de parto fica mais curto, mas ainda são necessários mais estudos para esclarecer esta pergunta.  
  • Qual profissional pode assistir partos na água?
R- No Brasil não existe um protocolo ou recomendação específica, mas na Inglaterra, por exemplo, onde é comum que as maternidades tenham banheiras de parto, o “Royal College of Midwives”, ou seja, a associação de enfermeiras obstetras local, recomenda que as midwives sejam treinadas pra o uso da água no trabalho de parto e parto e que existam protocolos estabelecidos para tal.(RCOG/RCM 2006)  
  • Existe controle de qualidade da água usada na banheira?
R- É recomendado que a qualidade da água seja checada e que existam protocolos para limpeza da banheira, além de procedimentos de controle de infecção. (NICE 2007; Kingsley et al. 1999; Hawkins 1995).  
  • A temperatura da água é monitorada?
R-  Sim. A temperatura da mulher e da água devem ser monitoradas a cada hora, de maneira que a mulher não fique com a temperatura elevada. A temperatura da água deve ficar em torno de 37,5oC (NICE 2007)  
  • Qual o risco de o bebê ter afogamento ao nascer?
  R- Um feto saudável, que não sofreu stress antes nem durante o trabalho de parto, não irá inicar a respiração no curto período de tempo que ele fica imerso na água no momento do nascimento. Desta maneira, para mulheres de baixo risco, a mortalidade neonatal não é diferente quando o bebê nasce na água ou de parto normal fora da água. (Gilbert and Tookey, 1999)  

O tema Parto na Água ainda necessita de mais estudos, pois ainda temos limitações científicas para algumas perguntas, por isto é importante que a mulher que escolha o uso da água para alívio da dor do parto ou para o momento do nascimento esteja segura e seu parto seja bem acompanhado e monitorado.

 
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on google
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

WhatsApp chat