Indicações reais e fictícias de cesariana

cesariana

A cesárea é um procedimento cirúrgico para realizar o parto dos bebês. É comum escutarmos de mulheres os mais diversos motivos que fizeram o médico obstetra optar por um parto cesárea, mas nem todos são motivos que de fato determinam indicação do procedimento.

 Atualmente, o Brasil é o segundo país com maior porcentagem de cesáreas no mundo, com uma taxa de 55%. Entretanto, a Organização Mundial de Saúde recomenda que essa taxa alcance somente até 15%. Inegavelmente, a cesárea não é uma substituição para todo parto normal, e devemos ficar atentas para as  poucas absolutas indicações da cesárea.

Vale ressaltar que há também situações especiais que merecem condutas individualizadas, respeitando as particularidades da gestação e levando em conta as expectativas da futura mãe. 

Separamos neste post 6 principais indicações absolutas de cesárea, e 6 motivos que não contraindicam o parto normal, que certamente você já ouviu falar. 

Indicações absolutas de cesárea:

Prolapso de cordão antes do período expulsivo

O prolapso de cordão é uma emergência obstétrica em que o cordão umbilical se projeta para fora do colo do útero, na frente do feto. O cordão umbilical leva nutrientes e oxigênio da placenta para o bebê, e sua compressão pode diminuir o fluxo sanguíneo e causar sofrimento para o bebê. 

Ilustração do processo de prolapso do cordão umbilical

Descolamento prematuro da placenta antes do período expulsivo

Essa é uma situação grave em que a placenta se descola da parede do útero antes do parto. Assim, a mãe pode perder uma grande quantia de sangue e o bebê pode ter sua nutrição e oxigenação prejudicada. Portanto, essa é uma indicação de cesárea.

Placenta prévia parcial ou total

É quando a placenta se implanta na parte inferior do útero, e cobre a abertura do colo do útero. Essa situação também é conhecida como “placenta baixa” e pode causar sangramento vaginal durante a segunda metade da gestação.

indicação de cesárea
Comparação entre a placenta normal e a placenta prévia

Apresentação córmica durante o trabalho de parto

Nessa indicação de cesárea, o bebê se encontra “atravessado” no útero, ou seja, na posição transversa. Existem manobras que podem ser feitas antes do trabalho de parto para mudar a posição do bebê, mas caso ele se encontre em apresentação córmica durante o trabalho  de parto, a cesárea está indicada.

indicação de cesárea
Constitui uma indicação de cesárea quando o bebê está em situação transversa durante o trabalho de parto

Ruptura de vasa prévia

Nessa complicação, os vasos sanguíneos do bebê que conectam o feto à placenta ficam entre o bebê e o colo uterino. Quando esses vasos se rompem, ocorre a interrupção da nutrição e da oxigenação fetal. Assim, ocorre um sangramento vaginal contínuo e indolor e indica-se a realização da cesárea.

Herpes genital com lesão ativa no momento em que se inicia o trabalho de parto 

Essa infecção ativa tem alto risco de transmissão para o bebê durante o parto normal, por isso é uma indicação para cesárea. Dessa forma, as gestantes com história de herpes genital podem fazer a profilaxia a partir de 36 semanas com o medicamento aciclovir, para reduzir o risco de lesão herpética durante o trabalho de parto.

Mitos das indicações de cesárea:

Gestação de gêmeos

Em gestação gemelar sem complicações cujo primeiro feto tenha apresentação cefálica, ou seja, esteja de cabeça para baixo, a decisão pelo modo de nascimento deve ser individualizada, respeitando as vontades da gestante e as características e o risco da gestação. Mas não há indicação absoluta para cesárea.

indicação de cesárea
A gestação de gêmeos não contraindica o parto normal

Anemia

Tanto o parto normal quanto a cesárea ocasionam perdas sanguíneas. Entretanto, a perda de sangue na cesariana é de cerca de 1 litro de sangue, enquanto no parto normal esse volume médio é de 500ml!

Uma cesárea anterior

Quando a paciente realizou uma cesárea anterior  esse histórico isolado não contraindica o parto normal vaginal. Além disso, o parto normal bem conduzido é mais seguro e capaz de diminuir a ocorrência de complicações relacionadas as cesáreas de repetição, como a taxa de ruptura uterina.
indicação de cesárea
Histórico de uma cesárea não é indicação de novo parto cesáreo

Trombofilias

As trombofilias são condições que de fato predispõem à trombose. Mas o risco de trombose é maior no pós-operatório de cesariana, que é um procedimento cirúrgico, do que no período pós parto normal.

Falta de dilatação ou parto prolongado

Os limites para considerar um parto “prolongado” ou um período expulsivo “prolongado” são muito impreciso. Portanto, não é obrigatório intervir no trabalho de parto que dura mais tempo que o habitual caso a mãe e o feto se encontrem bem.

Bacia estreita

Esse é um conceito popular, mas muito vazio, que diz respeito a desproporção entre o diâmetro da abertura da pelve e o diâmetro da cabeça do bebê. Atualmente sabe-se que a adaptação do crânio do bebê sem anomalias depende mais da posição em que ele se encontra do que propriamente do tamanho. Ademais, desproporções entre a cabeça do neném e a abertura da pelve que realmente indiquem cesárea são raras.

Vale ressaltar que é dever do médico obstetra oferecer todas as informações de riscos e benefícios dos procedimentos para a gestante, e o médico deve também estimulá-la a fazer um Plano de Parto. Independente do procedimento, cabe ao médico obstetra e à equipe de profissionais o respeito contínuo à gestante.

   

Leia mais:

-Cesárea: e se essa for a minha escolha? -Você conhece os tipos de cesárea? -15 dicas para evitar uma cesárea desnecessária -Parto e microbioma: qual é a relação?
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

WhatsApp chat